Mulheres na História

O Google Maps permite que vejamos na atualidade, via satélite, a exata localização de uma das mais antigas entre as estâncias da zona rural de Viamão: a Fazenda Boa Vista. O mapa ao lado da foto, à direita, foi obtido na pesquisa da historiadora Eliani Guimarães Vieira, localizada no acervo da Biblioteca Nacional de Portugal, onde o documento está registrado como “Planta Topográfica da Fazenda do Conselheiro Jozé Egídio Álvares de Almeida” e foi por ele mandada fazer em 1814.

O autor do levantamento é o engenheiro português Jacinto Dezidério de Cony. Esta fazenda resultou no século XVIII, nos primórdios da ocupação dos Campos de Viamão, da junção de três sesmarias sob a propriedade da viúva Dona Catharina de Lima, mãe do Padre João Diniz, o principal responsável e financiador da implantação dos altares barrocos da Igreja de Nossa Senhora da Conceição.

DUAS VEZES VIÚVA
Dona Catharina casou-se com o tropeiro João Diniz, que por sua vez chegou em Viamão por volta de 1735, fugindo do cerco espanhol à Colônia do Sacramento. Outros historiadores indicam que Diniz comprou a posse da várzea do Capivari, onde se instalou. Ele e Catharina tiveram um único filho, que posteriormente iria para o Mosteiro de São Bento, no Rio de Janeiro, preparar-se para se tornar o primeiro nascido no continente de Viamão a se tornar padre.
O pai do padre, contudo, faleceu por razões desconhecidas entre 1745, ano do batismo do filho do casal e o mês de maio de 1748, quando sua mãe, a viúva Catharina de Lima, já aparece nos registros de batismos da Igreja de Viamão casada com o influente provedor fazendário José Antônio Vasconcelos.

PROVEDOR E CAPITÃO
José Antônio Vasconcelos, o segundo esposo de Catharina de Lima, além ocupar um importantíssimo cargo público, indicando ser alguém com instrução e que possuía confiança e circulação nos meios hierárquicos da Coroa Portuguesa, fora também nomeado Capitão de Ordenanças em 1755, tendo recebido carta de sesmarias do Rincão do Palmar e dos Campos do Retiro. É a união destas duas sesmarias com a da várzea do Capivari, herança de Catharina de Lima, que irá formar a lendária Fazenda Boa Vista, que aparecerá, nos levantamentos oficiais do final do século XVIII entre as três maiores em plantel de gado e escravos no Continente de São Pedro do Rio Grande do Sul.

VIÚVA PELA SEGUNDA VEZ
O Capitão e Provedor José Antônio Vasconcelos, por sua vez, faleceu repentinamente aos 50 anos, em 1777, ficando Catharina viúva pela segunda vez, seguindo com seu único filho e herdeiro, o Padre João Diniz. Existem nos sistemas de registros de teses acadêmicas da UFRGS diversos estudos que referem Catharina como uma das pessoas que constituiu, à época, uma das maiores redes de apadrinhamentos no Continente de São Pedro.

Ela seguia até 1794, quando faleceu, como a maior estancieira mulher naqueles primórdios da ocupação colonial do que hoje é o Estado do Rio Grande do Sul.
Seu testamento está disponível em: Testamento de Catarina de Lima, custodiado pelo Arquivo Histórico da Curia Metropolitana de Porto Alegre sob a notação IIIR/C4 (1824-1829), correspondente às folhas 137 a 141v do Livro de Testamento e Rós Registrados na Chancelaria. No nosso acervo de pesquisa temos a transcrição do mesmo, realizada pela paleógrafa de Vanessa Gomes de Campos.

VITOR ORTIZ - é Gestor Cultural e Historiador pela UFRGS, foi secretário de Cultura de Viamão, São Leopoldo e Porto Alegre. Foi vereador em Viamão, Diretor da FUNARTE e Secretário-Executivo do Ministério da Cultura. É criador do canal Histórias de Viamão no Spotify e Cast Box.


Veja mais